Como Criar um Logotipo para sua Empresa: A Importância do Processo

Como criar um logotipo

Como Criar um Logotipo para sua Empresa: A Importância do Processo

“Como criar um logotipo online?”

“Como fazer um logo profissional grátis?”

“Como criar um logotipo gratuito?”

“Crie seu logo online e profissional de graça.

Estes são alguns dos termos que muitos empresários pesquisam na internet com o objetivo de encontrar uma solução gratuita, ou mais em conta, para criar o logo de suas empresas.

Claro que muitos destes empresários estão começando seus negócios e por isso não contam com tantos recursos financeiros para investir nisso de início, mas a verdade é que a grande maioria não investe por não dar a devida importância para o design na comunicação das empresas.

Esses empresários não percebem que a comunicação visual é parte fundamental para o desenvolvimento de um negócio, principalmente para os que estão começando, pois é exatamente este o momento em que mais precisam transmitir credibilidade e profissionalismo para atrair clientes.

Resultado: na mesma proporção que surgem novas empresas todos os anos, outras tantas fecham as portas, frustrando tantas pessoas que sonhavam em ter o próprio negócio.

E uma das grandes responsáveis por isso tudo é a falta de planejamento, que faz com que o design acabe ficando em segundo plano, quando deveria ser uma das prioridades no planejamento de qualquer negócio desde o início.

Com isso, termos iguais aos que eu citei no início acabam sendo muito comuns e, de certa forma, contraditórios, pois não tem como criar um logotipo profissional e gratuito, ou muito barato.

Mas porque não tem como criar um logotipo gratuito ou barato e profissional?

Por dois motivos:

Primeiro, porque sites que prometem que você mesmo é capaz de criar o seu logo profissional de maneira rápida e gratuita, esquecem de dizer que:

• você não é um designer profissional e por isso não possui a expertise de um;
• o processo de criação de um logotipo envolve outras etapas fundamentais, além da etapa de criação;
• eles disponibilizam elementos prontos e que podem ser usados livremente por outras pessoas, por isso você não terá um design exclusivo para o seu logo, que pode acabar ficando igual ao logo de muitas outras empresas por aí.

Segundo, porque isso envolve a venda de um serviço e, levando em consideração que tempo é dinheiro para quem vende serviços, ninguém vai trabalhar de graça ou pensando em sair no prejuízo.

E é aí que está o problema, porque eles acabam pulando etapas importantes no processo de como criar um logotipo, o que acaba comprometendo o resultado final do projeto.

E é exatamente sobre essas etapas que eu vou tratar neste artigo, então, continue comigo!

Como criar um logotipo – Processo

Acredito que poucos empresários e profissionais liberais, ao contratar um designer ou uma agência de design, sabem o quão extenso e complexo pode ser o processo de criação de um logo profissional, que consiga reunir beleza, viabilidade e embasamento conceitual.

Definitivamente esse processo não é tão simples assim, a ponto de poder ser resolvido em um ou dois dias, como muitos imaginam.

Antes mesmo de começar a criar qualquer coisa, é preciso um trabalho extenso de pesquisa que acaba consumindo uma quantidade considerável de horas.

E por mais que não pareça, acredite, um “simples” logotipo é capaz de dizer muito sobre você e/ou seu negócio, e, quando bem elaborado, interfere positivamente no nível de confiança que as pessoas tem a respeito de uma marca, pois é capaz de transmitir profissionalismo e credibilidade.

Apesar de não existir uma regra universal de como criar um logotipo, o que eu farei aqui é mostrar algumas etapas que eu e muitos outros designers consideramos fundamentais neste processo, e que vão muito além de parar em frente ao computador e começar a criar ao acaso.

Estas etapas são:

1 – Briefing
2 – Pesquisas e Análises
3 – Conceituação
4 – Geração de alternativas
5 – Apresentações e revisões
6 – Finalização e entrega

Saber de todas estas etapas e da importância que cada uma tem no processo de como criar um logotipo, vai fazer você entender melhor o trabalho de um designer, inclusive ajudando você a alinhar melhor as suas ideias com ele. Então, vamos a elas.

Como criar um logotipo #1 Briefing

O briefing é a primeira etapa a ser realizada no processo de criação de um logotipo, e trata-se de um questionário que contém perguntas relevantes ao projeto a ser desenvolvido.

O objetivo aqui é extrair do cliente o máximo de informações possíveis sobre o negócio, por isso ele tem um papel fundamental neste momento.

E é aí que está outro problema!

Um dos principais erros que os clientes cometem ao contratar uma agência ou designer para criar um logo, é não responder todas as questões contidas no briefing, ou responder de maneira superficial e até contraditória, o que acaba dificultando o desenvolvimento do projeto.

É preciso entender que não tem como criar um logotipo bem alinhado ao negócio sem um briefing bem respondido. Quanto mais específico você for ao respondê-lo, maiores as chances de o designer saber como criar um logotipo condizente ao seu negócio e que atenda às suas expectativas.

Em alguns casos, dependendo da quantidade de alternativas reprovadas ou da divergência entre o que está sendo apresentado em relação ao que o cliente espera, é necessário refazer o briefing para realinhar o projeto, o que acaba gerando um retrabalho que atrasa todo o processo.

Portanto, uma dica que eu dou aqui é que, antes de mais nada, você entenda exatamente o seu negócio e o mercado onde ele está inserido, além, é claro, dos seus objetivos em relação a ele.

Listei abaixo 8 perguntas que eu considero algumas das mais importantes de um briefing, e que por isso merecem um pouco mais da sua atenção. Confira:

1 – O que exatamente deve compor o logo. Nome tipográfico, símbolo, assinaturas de setores da empresa, slogan? Você tem alguma preferência por algum elemento ou cor?
2 – Onde o seu logotipo será aplicado?
3 – Qual é seu público-alvo (sexo, faixa etária, dados demográficos, classe social, etc.)? Se tiver informações mais aprofundadas sobre essas pessoas, este é o momento de apresentá-las.
4 – Quais são seus principais concorrentes?
5 – Como você quer se posicionar no mercado e em relação aos seus concorrentes?
6 – Quais são as principais características e diferenciais do seu negócio?
7 – Qual sua missão, visão e valores?
8 – Qual a ideia que o logo precisa transmitir (Popular ou sofisticada? Feminina, masculina ou neutra? Tradicional ou moderna? Etc.) e assim por diante.

Estas, entre outras questões, serão as primeiras coisas a serem consideradas em qualquer projeto de criação de logos.

Portanto, seja honesto e realista em suas respostas, pois elas serão fundamentais na conceituação do projeto, que posteriormente será traduzido em um design que representará o seu negócio, e que deve, acima de tudo, ser honesto em sua representação.

Como criar um logotipo #2 Pesquisas e análises

Para saber como criar um logotipo para uma empresa, é fundamental fazer um levantamento de informações sobre o mercado em que o negócio está inserido, e esta etapa basicamente se resume em pesquisar e analisar mais especificamente 3 pontos importantes:

1 – Concorrência;
2 – Consumidores;
3 – Tendências em design.

Logicamente o designer tem um olhar mais apurado para esse tipo de análise e conseguirá encontrar indícios que um leigo não conseguiria, e acredite, existem detalhes que somente o olhar de um profissional com experiência é capaz e perceber.

Concorrência

Procure listar seus principais concorrentes para que seja possível levantar informações sobre eles, a fim de descobrir como eles estão se apresentando, quais os pontos positivos e negativos a serem considerados, e assim por diante.

Também é importante verificar se existem tendências visuais dentro do seu segmento de mercado, para que seja possível buscar uma solução visual que não seja mais do mesmo, mas que também não seja tão inovadora a ponto de perder a identificação com o público.

Consumidores

O que acontece entre marcas e consumidores são relacionamentos, e para que um relacionamento seja positivo, é preciso haver afinidade. Por isso, um dos pontos mais importantes para saber como criar um logotipo para a sua empresa é analisar seus consumidores.

Então, com base nas informações que o cliente passou sobre seu público-alvo no briefing, é feita uma pesquisa mais aprofundada buscando descobrir algumas características desses consumidores, para entender melhor o que a sua marca precisa para criar empatia com eles.

Para tanto, além de informações mais básicas, como classe social, sexo, faixa etária e dados demográficos, é importante saber também quais seus hábitos, como eles se comportam, quais seus interesses, quais marcas eles usam e como se relacionam com elas, entre outras questões.

Saber também o que eles pensam sobre a sua empresa e sobre os seus principais concorrentes, vai ajudar você a saber qual a imagem que eles têm a respeito do seu negócio.

Uma maneira de conseguir todos esses dados é fazendo pesquisas com seus próprios clientes, ou com pessoas que se enquadram no perfil do seu público-alvo, seja por meio de uma pesquisa presencial, ou então através dos seus canais na internet.

É importante ter em mente que você não vai conseguir agradar todo mundo, mas o importante é estar em sintonia com a maior parte dos seus consumidores.

Tendências de design

Pesquisar tendências para saber o que está sendo feito em relação a design de logotipos de um modo geral também pode ser importante, pois ajuda a não criar algo ultrapassado ou que apenas esteja na moda.

Deixo abaixo 5 sites com ótimas referências sobre isso. Confira:

Logo Pond
Logoed
Logospire
Logo Moose
Logobite

Como criar um logotipo #3 Conceituação

Todas as informações coletadas e analisadas até aqui serão a base para criar o conceito do projeto, que por sua vez será a base para a etapa de criação do logo, que deverá seguir uma linguagem visual que esteja em concordância com esses preceitos.

Basicamente o conceito é a ideia que traduz a essência da empresa, aquilo que ela quer transmitir para os consumidores, mesmo que de maneira subjetiva, e é a partir dele que as ideias realmente irão ganhar forma, pois ele irá servir como fonte de inspiração para o design do logotipo.

A etapa de conceituação é essencial para o desenvolvimento de qualquer projeto de design, pois um conceito bem definido, que consiga alinhar os objetivos da empresa com as expectativas do público-alvo, deixa tudo muito mais claro para o designer.

Uma técnica muito utilizada nesta etapa – normalmente realizada em grupo – e que estimula a criatividade na geração de ideias para a conceituação do projeto, é o brainstorming, que em português seria algo como “tempestade cerebral”.

Essa técnica visa a reunir o máximo de ideias possíveis sugeridas pelos participantes, para posteriormente analisá-las, selecionando aquelas que podem vir a ser exploradas para solucionar um determinado problema, que neste caso é descobrir como criar um logotipo para uma empresa.

Aliás, muitas soluções inovadoras saem de sessões de brainstorming, por isso é uma técnica muito importante e que normalmente é aplicada na conceituação de um logo.

Como criar um logotipo #4 Geração de alternativas

Só agora, com o conceito definido, é chegado o momento em que o designer colocar toda a sua criatividade, conhecimento e experiência em prática, e quando eu digo conhecimento e experiência, é porque apenas a criatividade não basta nessa hora.

De nada adianta você ter uma boa ideia, se não conseguir colocá-la no papel.

Ou então sair batendo no peito orgulhoso achando que teve uma ideia brilhante, mas que no final das contas transmite uma mensagem totalmente equivocada, que não condiz com a realidade do seu negócio e/ou não “conversa” com os seus consumidores.

Isso porque todos os elementos que compõe um logo devem coexistir harmoniosamente, seguindo uma linguagem visual que consiga transmitir a mensagem adequada e de maneira eficiente.

Por exemplo:

Os diferentes tipos de tipografias existentes (com serifa, sem serifa, caligráficas, etc.), em suas diferentes versões (normal ou itálico, regular, bold ou black, condensada ou estendida, etc.) e conforme sua aplicação (caixa baixa ou CAIXA ALTA) transmitem ideias e sensações diferentes umas das outras.

E isso se dá também com as diferentes formas (retangulares, circulares, triangulares, etc.) e linhas (retas ou curvas, contínuas ou tracejadas, grossas ou finas, etc.), em diferentes direções (vertical, horizontal, diagonal, etc.), além, é claro, das diferentes cores e suas tonalidades, que falaremos mais adiante.

Sendo assim, as peculiaridades de cada negócio, bem como os diferentes públicos existentes – no que diz respeito a classe social, sexo, faixa etária, hábitos, interesses, entre outras características – exigem soluções visuais também diferentes.

Além disso, o logotipo precisa passar nos testes de aplicabilidade aos quais será submetido, levando em consideração sua legibilidade em diferentes situações.

Por isso a importância de um logo possuir diferentes versões, como coloridas, monocromáticas, simplificadas, verticais, horizontais, etc., permitindo assim mais flexibilidade em suas aplicações.

Sendo assim, é preciso dominar assunto diversos, que envolvem a linguagem visual, a psicologia das cores, a teoria da forma, a tipografia, a semiótica, entre outros, para não correr o risco de criar algo incoerente ou contraditório.

Além disso, é preciso ter habilidades técnicas para conseguir colocar as ideias que estão apenas no campo na imaginação, no papel e posteriormente na tela do computador.

E lembre-se: muito mais do que agradar a você ou o seu sócio, o logotipo precisa fazer sentido para o seu público-alvo, afinal de contas, estamos falando de negócios e, portanto, a funcionalidade do logo deve estar acima de achismos e gostos pessoais.

Esta etapa normalmente se divide em 4 partes:

1 – Esboçar ideias
2 – Vetorizar as melhores ideias
3 – Aplicar as cores
4 – Coletar e analisar feedbacks preliminares

Esboçar ideias

Este é o momento em que o designer precisa colocar para fora todas as ideias que vierem a sua cabeça, e o atalho mais rápido entre uma ideia e a sua representação visual, mesmo que seja por meio de garranchos, é utilizando lápis e papel.

Por isso, antes de ir para o computador, normalmente o designer rabisca no papel todas as ideias que surgem (símbolos, letterings, etc.), tentando traduzir o conceito que abrange o projeto no design de um simples logo.

Vetorizar as melhores ideias

Nesta etapa o designer seleciona as melhores alternativas que ele considera ter esboçado e as digitaliza com um scanner ou uma máquina fotográfica, para que possa abri-las dentro do computador, mais especificamente em algum software vetorial, como Illustrator ou CorelDraw.

A partir daí ele começa o processo de vetorização das alternativas, que, dependendo da sua complexidade, pode exigir muito conhecimento técnico e prática em softwares vetoriais para conseguir transformá-lo em um arquivo vetorial.

Aliás, exija que o seu logo seja criado em softwares vetoriais, pois não importa o quanto você amplie um vetor, ele sempre manterá a mesma qualidade e nunca ficará pixelizado, diferente de softwares que trabalham com bitmaps, como Photoshop, e por isso não possibilitam a criação de vetores.

Neste processo, normalmente o designer se utiliza de grids e linhas guia para construir o logo digitalmente, o que auxilia no alinhamento e no equilíbrio entre os elementos que o compõe.

Um ponto importante a ser considerado neste momento, é a aplicabilidade do logo, portanto, ele já deve ser construído digitalmente prevendo as suas principais aplicações, de maneira que consiga se adequar a todas elas.

Desta forma, é importante se preocupar com o espaçamento e a proporção dos elementos, levando em consideração a legibilidade do logo em tamanhos reduzidos ou em versões simplificadas, por exemplo.

Aplicar as cores

Conforme já falamos anteriormente, as cores e suas tonalidades – assim como as diferentes formas e fontes tipográficas – têm o poder de transmitir ideias e sensações diferentes, capazes de influenciar diretamente na percepção das pessoas em relação a uma marca.

Por isso elas têm um papel fundamental em qualquer representação visual, e entender o significado e a psicologia das cores é essencial para escolher assertivamente as cores de um logo.

Essa escolha pode variar muito de segmento para segmento e de negócio para negócio, sendo assim, deve-se levar em consideração as referências visuais que as pesquisas e análises da etapa anterior trouxeram em relação a isso.

Por exemplo, cores quentes – como vermelho, amarelo e laranja – transmitem sensações totalmente opostas do azul, que é uma cor fria. Tonalidades claras e escuras também transmitem sensações opostas.

Além disso, a combinação de cores e degradês possibilitam inúmeros outros significados, portanto, entender o significado das cores e as sensações que elas podem provocar, é essencial para saber como criar um logotipo para a sua empresa.

Coletar e analisar feedbacks preliminares

Antes de apresentar as alternativas para o cliente, é comum o designer pedir a opinião de algumas pessoas acerca das alternativas – normalmente de outros designers e/ou pessoas que se enquadrem no perfil do público-alvo – para que elas deem suas impressões em relação ao que estão vendo.

Isso é importante para saber se outras pessoas conseguem entender o logo da maneira que ele (designer) entende, não se deixando influenciar apenas pela própria preferência.

Por isso ele analisa os diferentes pontos de vista e apresenta para o cliente apenas as alternativas mais bem avaliadas, ou se achar relevante, pode experimentar algumas possíveis melhorias sugeridas.

Como criar um logotipo #5 Apresentação e revisões

Depois de finalizadas as alternativas, é hora de apresentá-las ao cliente.

Esta apresentação pode se dar por meio de uma reunião presencial ou virtual, ou simplesmente por e-mail, e a quantidade de alternativas apresentadas pode variar muito de designer para designer.

Nós da Expressa Design costumamos enviar duas alternativas num primeiro momento, mesmo que tenhamos desenvolvido outras.

O que fazemos é selecionar as duas alternativas mais adequadas no que diz respeito a conceito, estética a aplicabilidade, e então apresentamo-las com o conceito e algumas simulações de aplicação, como cartão de visitas, papel timbrado, letra caixa, etc.

Após a apresentação, deixamos o cliente dar o seu parecer sobre as alternativas, sugerir alterações, discutir as ideias apresentadas e assim por diante.

Na melhor das hipóteses, o cliente aprova uma das alternativas sem solicitar modificações.

Pode acontecer também de o cliente aprovar uma alternativa, mas pedir alguma modificação. Neste caso são feitos os ajustes necessários e uma nova apresentação para o cliente. Se aprovada com as modificações, partimos para a última etapa do projeto.

E na pior das hipóteses, pode acontecer de o cliente não gostar de nenhuma alternativa.

Se isso acontecer, há uma possibilidade de apresentar algumas alternativas já desenvolvidas, mas que não foram apresentadas, ou conforme tenha sido o feedback do cliente, novas alternativas deverão ser criadas do zero.

Se após a segunda apresentação novamente nenhuma alternativa for aprovada – o que é raro acontecer – é preciso realinhar as ideias e objetivos com o cliente para tentarmos descobrir onde estamos falhando.

Mas, independentemente de quantas idas e vindas esta etapa de apresentações e revisões possa gerar até que se alcance o resultado esperado, após a aprovação final do cliente nós partimos direto para a última etapa do projeto.

Como criar um logotipo #6 Finalização e entrega

Após a escolha da alternativa vencedora, pode ser necessário fazer uns últimos ajustes e alguns testes básicos para definir algumas normas de aplicação do logo, para então exportá-lo em todas as suas versões (vertical, horizontal, colorida, monocromática, etc.), e em diferentes formatos de arquivos.

Pra evitar transtornos, independentemente do software utilizado (Illustrator ou CorelDraw) para criar seu logotipo, sempre peça para o designer salvá-lo também nos formatos EPS e PDF, pois esses dois formatos preservam as características vetoriais do logo e são compatíveis com ambos os softwares.

Também é recomendável entregar as versões do logo pelo menos nos formatos JPG e PNG, sempre levando sempre em consideração a área de proteção em volta do logo.

Normalmente a entrega dos arquivos se dá via de e-mail ou através de algum site de compartilhamento de arquivos, mas também é possível fazer uma entrega física, seja por CD ou Pendrive.

Recomendo também investir na criação do manual de identidade visual, que é o documento que apresenta todas as normas, especificações e recomendações para a aplicação do logo, e por fim investir para ter a sua marca registrada junto ao INPI.

Considerações finais e uma última dica de ouro

Como foi possível ver até aqui, criatividade e prática em softwares gráficos são importantes, mas não são suficientes para saber como criar um logotipo profissional. É fundamental seguir um processo, ter experiência na área e conhecimento sobre assunto diversos.

Então por mais tentadoras que sejam algumas situações, tais como…

• ter um parente ou amigo que acha que sabe como criar um logotipo, só porque sabe mexer em algum programa gráfico;
• pagar preço de banana para alguns ditos “profissionais” que se encontram aos montes por aí, principalmente na internet, e que dizem serem capazes de criar seu logo “profissional” em 2 ou 3 dias;
• achar que você mesmo pode criar um logo para o seu negócio gratuitamente ou pagando preços irrisórios utilizando ferramentas online que prometem milagres;

… elas definitivamente não são as melhores escolhas se você quer um logo profissional e que transmita credibilidade para o seu negócio, simplesmente porque todas essas “soluções” deixam de lado aspectos importantes que envolvem o processo de como criar um logotipo.

Portanto, se você realmente leva o seu negócio a sério e entende que a criação de um logo é coisa séria, vai perceber que não vale a pena colocar em risco a reputação do seu negócio por uma economia momentânea que pode trazer muitos aborrecimentos e prejuízos no futuro.

Então, uma última dica de ouro que eu lhe dou é que você deve contratar os serviços de um designer profissional e capacitado, pois só ele vai ter a competência necessária para saber como criar um logotipo ideal para o seu negócio.

Espero que todas estas informações sejam úteis para você, e caso ainda tenha ficado com dúvidas de como criar um logotipo, ou de quem contratar para este serviço, então deixe o seu comentário abaixo ou entre com contato comigo por aqui, para que eu possa lhe ajudar. Até o próximo artigo!

Clique para solicitar um orçamento!

Comentários

Comentários