Como Criar uma Marca Memorável para a sua Empresa

como criar uma marca para empresa

Como Criar uma Marca Memorável para a sua Empresa

Criar uma marca para empresa não é uma tarefa fácil. Na verdade, muitas pessoas imaginam que é, e não dão a devida atenção à isso.

Não é muito difícil comprovarmos, pois a cada dia vemos mais e mais marcas sem estratégia, sem posicionamento e, consequentemente, sem sucesso.

Mas onde está o grande problema?

O fato é que para criar uma marca memorável não basta ter um nome, nem um “desenho de logo”, ou então um CNPJ.

Para criar uma marca memorável é preciso ir muito além, e se você quiser compreender melhor alguns passos desse processo, continue lendo esse post.

Primeiros passos para criar uma marca para empresa

Carlos Dranger, diretor-associado da Cauduro, empresa especialista em estratégia e gestão de marca, diz que:

“Primeiro, o empreendedor precisa se perguntar qual é a razão, o propósito, enfim, a alma da sua empresa. O que ele quer oferecer e como a sua companhia quer ser percebida? Somente com o desenho desta essência é possível chegar à marca e ao nome”.

Portanto, antes de partir para à ação, é importante pensar cuidadosamente sobre esses pontos mencionados por Dranger.

Além disso, é fundamental ter clareza sobre qual é o público-alvo do seu negócio, ou seja, com quem sua empresa vai conversar.

Esse é um ponto crucial, onde muitos erram. Você está criando uma marca para seus consumidores, não para você. E aqui, o que talvez seja muito difícil, você deve excluir gostos e desejos pessoais, e deve focar 100% no seu público.

E, para ser o mais assertivo possível nesse processo de criar uma marca sólida, é importante conhecer sobre Branding.

A importância do Branding

Diversas pessoas confundem o termo Branding com o logotipo e a identidade visual da empresa. Mas isso não é Branding.

No livro “Branding & Design Identidade no Varejo”, Adriana Costa e Silva explica que o branding é uma evolução do marketing e dos programas de identidades corporativas.

Não é apenas o planejamento estratégico da marca, mas está diretamente ligado à relação de afetividade que uma marca tem com o seu cliente.

Baseia-se nas necessidades e expectativas dos clientes, sendo pautado nas relações humanas e nas experiências do cliente em relação aos pontos de contato da marca.

Um correto programa de branding se baseia no conceito de singularidade. Ele simplesmente almeja fixar na mente do consumidor em potencial a percepção de que não há outro produto no mercado como o seu.

Alice M. Tybout e Tim Calkins, organizadores do renomado livro “Branding”, afirmam que:

“Uma marca é um conjunto de associações vinculadas a um nome, sinal ou símbolo, relacionadas a um produto ou serviço”.

Essas associações de uma marca podem ser tanto positivas quanto negativas. Segundo Calkins, os consumidores quase sempre associam um produto ou serviço a uma marca e a maneira com que esses consumidores percebem isso, é o que vai dizer qual produto é melhor ou pior.

Por isso, pouco importa qual é o melhor produto de verdade, mas qual é o melhor na percepção das pessoas. E isso está diretamente associado à marca, que pode elevar o valor do produto.

Por exemplo, o que faz uma pessoa pagar mil reais em uma calça da marca A, sendo que ela poderia pagar dez por cento desse valor em uma calça da marca B, que teria a mesma função de vestir?

A resposta para isso é a diferença de valor entre as marcas. Pode ser que o produto mais caro, da marca A, não seja melhor que o mais barato, da marca B, mas o valor e credibilidade que a própria marca conquistou no mercado, faz com que o consumidor tenha a impressão de estar comprando um produto com uma qualidade melhor e mais bonito, além da experiência e status que a marca estampada no produto proporciona, transformando a necessidade de se vestir em um desejo.

Calkins ainda explica que as marcas possuem um poder incrível e a maior dificuldade encontrada pelos gerentes, é exatamente criar uma marca forte, pois, para cada marca de sucesso, há dezenas de outras que fracassam.

Há três desafios-chave que os gerentes de marcas devem entender, conhecidos como três “C” de branding: caixa, consistência e clutter (saturação).

Caixa

O caixa é o primeiro desafio encontrado pelos líderes de marca, pois devem investir na marca, balanceando a obtenção de resultados financeiros em curto prazo, mas estabelecendo metas apropriadas para a construção da marca em longo prazo.

Consistência

A consistência é o segundo desafio de branding, e significa a capacidade de fazer com que a organização inteira acredite na marca e abrace-a, oferecendo uma experiência consistente ao cliente, formando associações positivas, toda vez que esse cliente interagir com os pontos de contato da marca.

Clutter (Saturação)

O terceiro e último desafio, é a saturação. A marca precisa ser bem definida quanto ao seu posicionamento e criativa na hora de atrair a atenção do mercado, pois os consumidores são bombardeados todos os dias por centenas de anúncios e, romper com esse ambiente tão saturado e ainda formar associações significativas é extremamente difícil.

Marca e valor

O brasileiro Gilberto Strunck, sócio-diretor da Dia Comunicação e referência quando o assunto é design, diz em seu livro “Como criar identidades visuais para marcas de sucesso” que nós seres humanos não consumimos coisas, mas símbolos.

Somos educados a querer o que está na moda, imitamos o comportamento dos que são considerados “formadores de opinião”. Strunck afirma que nós valorizamos tudo aquilo que desejamos, e quanto maior é o desejo, maior é o valor.

Um sistema de identidade visual tem como objetivo principal, diferenciar para os consumidores uma marca das concorrentes.

Seus ícones acabam se tornando sinalizadores da confiança que colocamos nas marcas, pois tem o poder de sintetizar e transferir para os produtos toda a informação que possamos ter com eles.

Com o passar do tempo, as marcas conquistam tanta importância, que passam a ter valor próprio. Anualmente são publicados rankings, calculados por empresas especializadas, que mostram as principais marcas internacionais.

Quando uma marca chega a esse nível, ela passa a ser um ativo intangível, um bem imaterial, e pode ter uma vida indeterminada, dependendo de uma boa administração, que saiba defendê-la dos fatores externos, como concorrências, mudanças de hábitos do público, novas tecnologias entre outras.

Posicionamento

O posicionamento exerce um importante papel na hora de criar uma marca forte, assim como no seu gerenciamento, por especificar a relação dessa marca com as metas dos consumidores.

Podemos definir posicionamento como sendo a promessa na mente do consumidor, ou seja, é exatamente o que define a preferência por determinada marca, mostrando a ele benefícios que nenhuma outra marca possui, vendendo a ideia de que ele irá se sentir extremamente satisfeito com a compra.

Agora, se essa marca não vender aquilo que promete, pode perder o cliente definitivamente. Por isso é tão importante uma estratégia bem definida e pautada na verdade.

No livro “Posicionamento da marca”, Alice M. Tybout e Brian Sternthal afirmam que o ideal em uma declaração de posicionamento de marca, é que ela esteja baseada nas metas e nas percepções dos consumidores.

Dessa forma, deve ser assegurado que toda a empresa e, posteriormente os seus parceiros, compartilhem a mesma visão da marca, que chegará ao consumidor como resultado final de tudo isso, por meio da comunicação, dos preços entre outros.

Criando a identidade da marca

Agora que você já entendeu um pouco da importância de um planejamento e uma estratégia bem definida, antes mesmo de criar a sua marca em si, vamos dar prosseguimento à esse processo.

Confira os principais pontos para criar uma marca de sucesso.

Nome e registro

O nome da sua empresa é um fator crítico, pois exige uma certa dose de atenção.

Existe um processo para a criação de nomes para empresas chamado de Naming. De forma resumida, o Naming consiste em pesquisas, análises e brainstormings até a definição do nome ideal

O site Viver de Blog disponibilizou um infográfico muito interessante sobre o processo de Naming.

Além da definição do nome, é importante verificar a disponibilidade de registro da sua marca junto ao INPI, antes mesmo de seguir em frente.

O investimento em uma marca registrada deve ser parte da estratégia de qualquer empresa desde o início, afinal de contas, é só assim que você vai ter a garantia que a sua marca está protegida.

Confira nosso artigo que mostra 12 benefícios de ter sua marca registrada junto ao INPI.

Logotipo e identidade visual

Você precisa ter em mente a real importância do design para as empresas, mesmo no início das atividades.

Investir em um design profissional desde o início das operações é “começar com o pé direito”. É somente assim que você vai conseguir transmitir os valores do seu negócio.

A identidade visual corporativa é formada por todos os atributos que diferenciam uma empresa das outras.

É sua história, sua visão, missão e valores, que são traduzidos através de seus pontos de contato com o público, ou seja, através do nome, da marca, das cores institucionais, do ambiente de trabalho, dos serviços que presta, do atendimento dos funcionários, dos produtos que vende, da comunicação da empresa, entre outros.

Portanto, é indispensável a contratação de uma empresa especializada em design empresarial para o desenvolvimento do logotipo e identidade visual do seu negócio.

E, além de investir em um design profissional ao criar uma marca, aconselho você que a empresa contratada seja qualificada para prestar uma consultoria em relação a aplicação da identidade visual em todos os pontos de contato da empresa.

Aplicações mal feitas ou em excesso podem “matar” todo o trabalho feito até aqui.

Caso queira se aprofundar um pouco mais nesse assunto, recomendo fortemente os posts abaixo:

– Por que a criação de identidade visual é fundamental para o sucesso da sua empresa?
– 5 princípios básicos do logotipo ideal para o seu negócio
– Por que sua empresa precisa de um logo profissional?

Pontos de contato essenciais ao criar uma marca

Para os consumidores, as marcas e seus pontos de contatos servem para facilitar a procura pelo produto, identificar e atribuir responsabilidade ao fabricante, além de indicar qualidade e diminuir os riscos.

Para os fabricantes, as marcas ainda garantem proteção legal de exclusividade, o que podem considerados vantagens competitivas e consequentemente resultar em retornos financeiros, além de criar associações únicas com os clientes, podendo afetar na sua decisão de compra, conquistando a lealdade desses clientes e agregando valor à marca.

Com base nisso, listei abaixo os principais pontos de contato que você deve se atentar durante o processo de criar uma marca.

Site

Hoje, o mundo é digital.

Segundo uma pesquisa realizada em 2015, 58% da população brasileira usam a internet, ou seja, 100 milhões de brasileiros já acessam a internet.

E hoje esse número certamente já aumentou!

Portanto, criar um site profissional também é fundamental para que o seu negócio esteja presente no meio digital, que não para de crescer.

Não sabe por onde começar? Então dá uma olhada nos conteúdos abaixo:

– Site responsivo: o que é e porque sua empresa deve ter um
– Site barato: como ter um site de qualidade sem investir muito
– O verdadeiro papel de um site institucional competitivo nos dias de hoje
– Como criar um site competitivo para o seu negócio

Redes sociais

Após criar uma marca, você precisa divulgá-la. E assim como um site, as redes sociais tem um papel de suma importância para o marketing das empresas no meio digital.

Mas não basta sair criando perfis em todas as redes sociais que existem, sem antes ter uma estratégia bem definida e planejada.

A forma de fazer marketing nas redes sociais muda a cada dia, e sua empresa precisa estar em sintonia com essas mudanças.

Minha indicação à você, assim como no design, é que você encontre uma empresa parceira para terceirizar a gestão das redes sociais da sua marca. Conheça aqui as vantagens!

Se interessou pelo assunto? Quer saber mais? Confere aqui:

– Redes sociais para empresas: como gerenciar em 5 etapas
– Por que sua empresa deve anunciar no Facebook (e como dar os primeiros passos)
– E-BOOK GRÁTIS: 5 dicas para alavancar a página da sua empresa no Facebook
– Como utilizar a ferramenta do Instagram para empresas – passo a passo completo
– LinkedIn para empresas: como funciona e 7 dicas práticas

Materiais promocionais e de papelaria

A identidade visual da sua marca deve estar aplicada em todos os pontos de contato, e você precisa definir, juntamente da sua empresa parceira, quais materiais vão ser desenvolvidos.

Dependendo do tipo de negócio, vai precisar ser produzido materiais de papelaria como cartão de visita, envelopes, papel timbrado, pasta, entre outros.

Se for um negócio físico, a fachada da sua empresa precisa informar adequadamente os consumidores, e é possível que você precise aplicar seu logotipo em letra caixa, por exemplo.

Banners, plotagens, sinalizações, materiais digitais, enfim, deve ser definido tudo o que vai ser produzido em relação a comunicação visual da empresa.

Concluindo

O intuito deste artigo é dar uma visão geral a real complexidade que envolve criar uma marca de sucesso.

Dependendo do negócio, do nicho de mercado e dos objetivos é preciso fazer ainda mais. Portanto, o que foi apresentado aqui é uma base para guiar você na hora de criar uma marca para a sua empresa.

O caminho é longo, mas se você chegou até aqui, com certeza sua mentalidade está correta pois você está buscando um caminho concreto para desenvolver um negócio sólido.

Não se esqueça também de dar a devida atenção às outras áreas que englobam a gestão de uma empresa.

Espero que você tenha gostado do conteúdo e boa sorte para que você consiga criar uma marca memorável. Sucesso! E se precisar de ajuda, entre em contato conosco através do banner abaixo.

Clique para solicitar um orçamento!

Comentários

Comentários